Skip to content

Varejo: dados e consistência para gerar conversão

 

O futuro está em pensar nas jornadas, relacionamento, multi-finalidades para falar com seus consumidores.

O varejo sempre foi fundamental para a construção de vendas e experiências. Uma pesquisa realizada pela PwC, mostrou que 73% dos consumidores apontam a experiência como um importante diferencial em suas decisões de compra. No entanto, ele não é somente um espaço muito concorrido, como também precisa cumprir novos papéis em um mundo mais conectado. 

Diante dessa realidade, as marcas precisam estar atentas em como transformar experiência em conversão. Tudo o que for criado, desenvolvido e planejado, desde a concepção precisa estar pautado na conversão de venda. A conexão das marcas com o shopper precisa estar focada neste ponto. "Isso é bem relevante para o nosso negócio e a gente vê esse crescimento muito efetivo", explica Carolina Vanucci, Partner & VP Business da Score Group, empresa de data retail. 

Não existe mais a ideia de construir uma marca sem pensar como ela ocupa todos os espaços com consistência para as pessoas. O momento atual é da conversão ganhando potência, e ela será a força motriz que vai conduzir as conversas das marcas neste ano. "Não podemos esquecer nunca que a marca, em todo momento que ela conversa, precisa ter consistência. Não existirão mais marcas no futuro que não atuem com consistência de comunicação, consistência de mensagem em todo o funil. A gente vive uma época de uma jornada única, do funil único e a marca tem que entender que dá para construir sim a sua marca", conta Albano Neto, VP de Estratégia da Score Group. 

As empresas precisam se preparar para o crescimento do Brand Experience de forma específica. O varejo é desafiador, inovador e dinâmico, e quem deseja, gostem as marcas ou não, é o consumidor. É preciso ousar se você deseja que sua marca seja relevante. Entender o ponto de venda dentro de um ecossistema e uma jornada de compra mais complexa é o que vai fazer a grande diferença. E para isso ser possível, as marcas precisam de um olhar mais integrado, e principalmente, dos dados. 

É universal: o relatório "The data-powered enterprise: Why organizations their data mastery" (Empresa movida a dados: porque as organizações devem fortalecer seu domínio de dados), da Capegemini Research Institute, apontou que, empresas que se baseiam em dados, obtém 70% mais receita por funcionário, e 22% mais lucros. 

A tendência de pensar por jornadas e entender onde ela vai se desenvolver, onde falar com o consumidor está cada vez mais forte no Brasil, e o uso de dados é fundamental para fazer essa comunicação ser mais personalizada e regionalizada. 

"O growth vai acontecer a partir disso, porque as marcas perceberam que não adianta fazer um grande esforço para ser pauta por um momento, se não tiver uma plataforma que engaje o consumidor, desde o momento um e todos os dias, e seja always on. O mercado brasileiro vai acontecer nisso", conta o VP de Estratégia

O futuro está nas jornadas integradas e no relacionamento com o consumidor

"Entendemos cada vez mais que o futuro não é sobre disciplinas limitantes (promoções, ativações, eventos). O futuro está em pensar nas jornadas, relacionamento, multi-finalidades para falar com seus consumidores. Empresas que não pensarem no crescimento com ferramentas integradas do que acontece hoje, elas não vão sobreviver", esclarece Albano Neto.

Vejamos alguns exemplos da própria Score: a empresa criou a Jeep Experience, uma plataforma que possibilita integrar desde a concessionária um lead, experiência de marca e usabilidade de produto, até a conversão final, dentro de uma única plataforma. O outro exemplo é da atuação da empresa com o trade global de Ambev. "Nosso trabalho é muito forte em organizar esse momento final do funil. Levamos construção B2C, ou seja, a venda direta para o consumidor e todos os assets que chegam para falar com o dono do bar, dono do supermercado". E tudo isso pensado para ter consistência de marca, conversão adaptável à realidade de cada região, ou momento diferente de consumo.

Para 2023…

As marcas precisam estar atentas e encontrar uma equação onde a criatividade e conversão andam juntas, e entreguem isso para o mercado e clientes, sem esquecer de se basear em dados. "Cada vez mais a gente tem uma equação super eficiente de captação, uso e transformação das nossas ações 100% pautadas nesses dados. Assim temos uma comunicação efetiva e conversão como fator principal desse processo", esclarece Carolina.

Minibio - Albano Neto Minibio - Carolina Vanuci

 

BAIXE O REPORT

Leave a Comment